Felicidade Geral
CENTRO HISTÓRICO, GRANDE ÁREA DESAPROPRIADA EM EM ESTADO DE ABANDONO, DESPERDÍCIO E MAU USO DO DINHEIRO PÚBLICO.
CENTRO HISTÓRICO, REVITALIZAÇÃO DO CENTRO, DESAPROPRIAÇÃO, ESQUECIDA NO TEMPO EM RUÍNAS

CENTRO HISTÓRICO DE PAULÍNIA, SÍMBOLO DO DESPERDÍCIO E MAU USO DO DINHEIRO PÚBLICO.
EXEMPLO CLÁSSICO DA INCOMPETÊNCIA DO EXECUTIVO E A FALTA DA FISCALIZAÇÃO,OMISSÃO DO LEGISLATIVO DE ANOS APÓS ANOS.
PATRIMÔNIO HISTÓRICO,
Art.1º Fica criado, junto à Secretaria Municipal de Cultura, o Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Ambiental, Cultural e Turístico...

REVITALIZAÇÃO DO CENTRO, DESAPROPRIAÇÃO, DESPERDÍCIO E MAU USO DO DINHEIRO PÚBLICO.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

#Paulínia, a vontade política

Paulínia, a vontade política, fato ausente nas gestões anteriores e existentes, tanto do Executivo, quanto do Legislativo na fiscalização em prol da população agastado por muitas eleições, deixando descrença nos  gestores impune ordenado pelo momento político, acompanhado do futuro do presente indicativo “veremos”, se resguardando das omissões atrás das articulações, deixando o povo "pagar pra ver" sem representatividade e com ônus das circunstâncias, tendo hoje a maioria reeleito compreendendo o desinteresse da população pela política, observada à quantidade dos votos brancos, nulos e abstenções, não por ignorância, mas por desprazer na política e os interesses agregados, por consequência de um sistema político em colapso, visto em todo o Brasil penalizando o povo.

Com tudo existiu uma Comissão Especial de Inquérito da saúde para “acompanhar as ações da Administração Municipal no que concerne ao cumprimento da Lei e da boa aplicação dos 
recursos públicos, pessoal e erário” conclusão essa que não atendeu de maneira explicita aonde foi gasto e como foram gastos os recursos públicos conduzido com interesse político, sem a devida responsabilização, contribuindo de maneira indireta para o agravamento da "Saúde Pública", logo à frente teremos a conclusão de mais duas comissões investigatórias, que vem dando sinal de dificuldade, comprovado os fatos irregulares e a conclusão final, o anseio da população é pela responsabilização dos envolvidos sem argumentação. 

Promessas eleitorais e seus “Programas de Governos” emparelhados aos mirabolantes registrados no TRE-SP somando se  muitos outros não registrados e as justificativas não justificadas dos executivos na ação e do legislativos na fiscalização, sem o desempenho, tendo visto que gastaram valores milionários na construção e administração do “Pólo Cinematográfico” e na “Revitalização do Centro”, dentre as etapas do 
"Plano Diretor" tem se empenhado altos valores na educação e na saúde que não corresponde com os resultados, sentido pelos munícipes aguçado pelos olhos, deixando um certo pânico com as forças ocultas empalmando precedência, as que são de veras, mais as grandes obras com áreas ociosas de custos elevados, sem aumento de receita e legado para o povo, incoerente com o momento atual de insegurança, natural de muitas eleições,  sem deixar de lembrar a divida milionária e uma receita sabido por todos.

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

UNIVERSALIDADE E ANUALIDADE DE #PAULÍNIA

INQUÉRITO CIVIL

Combate à corrupção e a realidade das muitas cidades brasileiras e suas discrepâncias com a Lei complementar nº 101 de 2000 que veio para por limites e condições para o uso do dinheiro público, limitando a divida pública, junto da Lei nº 4.320 de 1964 conforme o “Art. 2° A Lei do Orçamento conterá a discriminação da receita e despesa de forma a evidenciar a política econômica financeira e o programa de trabalho do Governo, obedecidos aos princípios de unidade universalidade e anualidade".

Com parecer da maioria do Legislativo não identificando as irregularidades sobre o mau uso do dinheiro público por pessoas influentes, deixando a dúvida do “respeito da separação entre direito e moral com delimitação do primeiro” visto que a cidade de Paulínia tem coisas boas, fundamentado com o descaso tanto com o bem público, como a população, contundo poderia estar extremamente melhor “com mandato para atuar em seu nome (Povo) e por sua autoridade, isto é, legitimados pela soberania popular” tendo uma receita considerável sobre a média do país, mesmo em tempos de crises; Ainda assim não se pode fazer vista grossa dos valores altíssimo da divida pública, como não fossem faltoso para as prioridades da cidade e da população, logo que as metas fiscais tem a tendência de não afirmar.

Mais uma vez nós munícipes e a cidade de Paulínia vivemos momentos polemico visto o legislativo e o executivo, mais o controle judicial, entre suas varias tarefas a fiscalização do patrimônio e mau uso dos recursos públicos.

Há vários governos que vem se destacando por irregularidades sem a conclusão ou mesmo iniciado um inquérito civil vindo de denuncias e quando aberto é acompanhado com segredo de justiça dificultando a transparência, incluindo pagamentos direcionados, desvios de verbas, licitações, contratos desaparecidos, contratos superfaturado, entre outros protocolados na Câmara para pedido de CEIs entre esses o da saúde com resultado inadequado, além das prestações de contas rejeitadas e a morosidade da justiça e da Câmara, proporcionando impunidade e a descrença do eleitor dado a realidade da cidade e das instituições.

TRIBUNAL DE CONTA DO ESTADO DE SÃO PAULO:
Contas 2015 e 2016 fase de instrução/contraditória
Contas Municipais (Parecer) 
PAULÍNIA - PORTAL DA TRANSPARÊNCIA                                               
LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO DE PAULÍNIA

sábado, 2 de setembro de 2017

#Paulínia e a política amiga

Tal como o "Projeto de Lei da Reforma Política" existe a esperança ameaçada constantemente por interesses. Os munícipes e a Cidade de Paulínia vivem sob as articulações políticas à quase duas décadas sobreposta pela “Natureza Política” e seus partidários, a política de ontem e a de hoje são escorado por uma maioria do Legislativo adaptando as circunstâncias, de maneira a preservar o melhor proveito, amparando o Executivo e sua administração, colocando prioridades como doação para o povo e direcionando a cidade sem um plano de governo explicito para as necessidades reais de Paulínia e da população na educação, saúde, segurança, infraestrutura, habitação e assistência social, quando as licitações, contratos superfaturados, e outros desaparecidos com boletim de ocorrência e inquérito cível desconhecido dos munícipes, sem o cuidado da apuração, ligado a vários desvios de verbas públicas no passado deixando um rombo nas contas públicas entendido que não é um dano ao erário, somando se a realidade atual velha, vista com indiferença e impunidade decorrente da lerdeza da justiça dando um boi de piranha, abrindo uma cortina politicamente correta para os olhos da população com uma arrecadação bastante significativa, em outros momentos depreciando, apresentando perda de receita, quando questionado das necessidade de Paulínia.

TRIBUNAL DE CONTA DO ESTADO DE SÃO PAULO:
Contas 2015 e 2016 fase de instrução/contraditória
Contas Municipais (Parecer)

PAULÍNIA - PORTAL DA TRANSPARÊNCIA                                             
LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO DE PAULÍNIA 

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

#PAULÍNIA E A NOVA REALIDADE

Conforme o texto da LC nº 135/10 e o art. 71, II, da CF/88 o eleitor permanece intrigado com os gestores fato de grandes obras milionárias concluídas que não atende o prometido, tendo outras em anos sem a conclusão, ainda as desalinhada, de valor alto e contratos vultosos com parecer irregular dado pelo tribunal de contas (LRF) minimizando a capacidade de pagamento e investimento da Cidade de Paulínia prejudicando a gestão, podendo dificultar um bom Projeto de Nº 01/17 da Vereadora Fábia Ramalho estabelecendo a Lei Orgânica  verbas para as emendas dos vereadores incluindo no Orçamento Anual da Lei de Diretrizes Orçamentária, que vem há muitos anos com dificuldade para cumprir metas e prioridades por conta da redução de receitas e contas a pagar,  junto da lentidão da justiça, instrução contraditória, não responsabilidade dos gestores e a natureza política, entendido que não representou prejuízo ao erário, incluindo recursos federais comprometendo a administração, sentido por nós munícipes que a democracia representativa não corresponde aos anseios do povo nesse sistema atual, de forma persistente afirmam os executivos e legislativos a sua representatividade, negado pelos atos destes diante dos acontecimentos. 

Leia na integra...

TRIBUNAL DE CONTA DO ESTADO DE SÃO PAULO:
Contas 2015 e 2016 fase de instrução/contraditória
Contas Municipais (Parecer)

PAULÍNIA - PORTAL DA TRANSPARÊNCIA                                               
LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO DE PAULÍNIA 

quinta-feira, 27 de julho de 2017

#PAULÍNIA, IDAS E VINDAS!



São tantas idas e vindas, judicialização, menosprezo do parecer irregular das contas, denuncias, desvio de verbas, licitações, contratos desaparecidos, verbas casadas, indicações, requerimentos e seguidos pronunciamentos “foi enviado ao ministério publico” sem execução inocente ou culpado nas fendas da paridade em passos lentos, e por ai vai à preocupação pelo povo e com a cidade de Paulínia na busca pelo poder, prioridades com múltiplos significados fazendo desacreditar na política representativa, mas sim numa política tendenciosa nesse sistema que não atende as necessidades da população e da cidade depreciando bens público sem planos de governos ajustado a realidade do município e da população, esperado no passado e no presente praticado por gestões descuidadas, transformando o voto em desesperança numa demanda política urubuzada onde o povo fica com o ônus, o político com o bônus e seus apadrinhados apegados, assim pendura Paulínia no caminho das incertezas políticas e financeiras...
A luz está no futuro, com uma reforma política e no voto distrital!


PAULÍNIA - PORTAL DA TRANSPARÊNCIA                                                 
LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO DE PAULÍNIA 

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Políticas Públicas desenha a história de #Paulínia

As diferentes formas de políticas públicas ao longo dos anos desenha a história da cidade de Paulínia na ótica realista do mecanismo político em defesa dos grupos políticos numa oligarquia no exercício do poder, desmentindo a preocupação pelo povo, subjetivando a democracia representativa no conceito da obra sem a realização concreta, desconsiderando o povo com a realidade presente, desconhecendo os limites dos gastos públicos imprecisos a população no entendimento explicito"o que é política, o que é real", testemunhando a  depreciação do patrimônio público e uma divida equivocada, deixando perguntas da eficiência de pagamento e investimento nas prioridades da cidade com o negrume das contas públicas numa fiscalização de natureza política, colocando em xeque a “Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)” nesse sistema político que já não atende a sociedade, carecendo de uma reforma política urgente, dados as realizações inexpressivas em anos na qualidade de vida dos munícipes por conseguinte agregados a contratos,  licitações e remanejamento questionáveis apertados por oportunistas numa administração descuidada e mal fiscalizada durante anos, com uma arrecadação bastante razoável mesmo em tempos de crise.



PAULÍNIA - PORTAL DA TRANSPARÊNCIA                                                   
LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO DE PAULÍNIA 

quinta-feira, 8 de junho de 2017

#Paulínia... A galinha dos ovos de ouro


Democracia representativa “é o exercício do poder político pelo povo, não diretamente, mas através de seus representantes, por sí designado para atuar em seu nome”, no entanto a história e os fatos em Paulínia há anos vem nos mostrando ser diferente, uma Câmara de minoria na oposição, contra a maioria da situação somada aos indecisos, há tempos igual ou invertida de acordo com as estratégicas políticas e partidárias, com soluções exíguas sendo reeleitos a maioria, com decisão de “natureza política”, ou seja, todas as derivações da existência do Estado sejam elas, boas ou ruins, são resultados de deliberações políticas, assim sendo a população e a cidade de Paulínia vem em segundo plano, prevalecendo o interesse político conforme os fatos e os cuidado com o povo e a cidade nesse “sistema político” arrebentado.

Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) Ela faz uso de uma série de instrumentos constitucionais pré-existentes - a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), a Lei Orçamentária Anual (LOA), a execução orçamentária e o cumprimento das metas - para fortalecer os meios de responsabilização e a transparência de contas da gestão pública”

Em vista disso Paulínia... Cidade médio-pequena que já apresentou se entre as maiores renda per capita do país, compreendendo as metas e prioridade ao povo e uma cidade com qualidade de vida, o tempo vem trazendo a realidade dura, o descaso, mostrando se diferente do pretendido e prometido, ainda que com uma renda em baixa, entretanto com valores significativos, o bastante para atender as prioridades da população assombrada e temerosa com os exercícios financeiros e um "Orçamento Anual" misterioso, contratos, licitações e remanejamentos, escoltado por uma justiça lenta e suas fissuras em anos de gestão.

TRIBUNAL DE CONTA DO ESTADO DE SÃO PAULO:
Contas 2015 e 2016 fase de instrução/contraditória
Contas Municipais (Parecer)
PAULÍNIA - PORTAL DA TRANSPARÊNCIA                                                   
LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO DE PAULÍNIA 
PROCURADORIA MUNICIPAL
CONHEÇAS 7 FUNÇÕES DO PROCURADOR MUNICIPAL QUE MELHORAM A VIDA DO CIDADÃO E O DIA-A-DIA DA SUA CIDADE.
O procurador municipal é o guardião das lei do seu município; saiba como o trabalho desse profissional melhora a gestão pública.
São várias as cidades brasileiras que podem contar com o trabalho de um procurador municipal. Mas você sabe qual é a função desse profissional na administração pública? Confira algumas das tarefas de um procurador, a importância do seu trabalho e da sua presença em cada município do país.
PORTAL DA TRANSPARÊCNCIA