Felicidade Geral
CENTRO DE PAULÍNIA, RUA OSCAR SEIXAS DE QUEIROS, DESAPROPRIAÇÃO ESQUECIDA NO TEMPO
                          
CENTRO HISTÓRICO DE PAULÍNIA, SÍMBOLO DO DESPERDÍCIO E MAU USO DO DINHEIRO PÚBLICO.
CENTRO DE PAULÍNIA, AV. JOSÉ PAULINO, DESAPROPRIAÇÃO EM ESTADO DA ABANDONO, AO LADO DA IGRIJA SÃO BENTO
CENTRO HISTÓRICO DE PAULÍNIA, SÍMBOLO DO DESPERDÍCIO E MAU USO DO DINHEIRO PÚBLICO.
CENTRO DE PAULÍNIA, AV. JOSÉ PAULINO, DESAPROPRIAÇÃO EM ESTADO DA ABANDONO E RUÍNAS, AO LADO DA IGRIJA SÃO BENTO.
CENTRO , AV. JOSÉ PAULINO, DESAPROPRIAÇÃO EM EM ESTADO DE ABANDONO, DESPERDÍCIO E MAU USO DO DINHEIRO PÚBLICO.
CENTRO DE PAULÍNIA, RUA OSCAR SEIXAS DE QUEIROS, DESAPROPRIAÇÃO ESQUECIDA NO TEMPO EM RUÍNAS

CENTRO HISTÓRICO DE PAULÍNIA, SÍMBOLO DO DESPERDÍCIO E MAU USO DO DINHEIRO PÚBLICO.
EXEMPLO CLÁSSICO DA INCOMPETÊNCIA DO EXECUTIVO E A FALTA DA FISCALIZAÇÃO,OMISSÃO DO LEGISLATIVO DE ANOS APÓS ANOS.
CENTRO, RUA OSCAR SEIXAS DE QUEIROS, DESPERDÍCIO E MAU USO DO DINHEIRO PÚBLICO.
CENTRO, RUA OSCAR SEIXAS DE QUEIROS, DESPERDÍCIO E MAU USO DO DINHEIRO PÚBLICO.

CENTRO, RUA OSCAR SEIXAS DE QUEIROS, DESAPROPRIAÇÃO EM RUÍNAS, DESPERDÍCIO E MAU USO DO DINHEIRO PÚBLICO.
CENTRO, RUA OSCAR SEIXAS DE QUEIROS, DESAPROPRIAÇÃO EM RUÍNAS, DESPERDÍCIO E MAU USO DO DINHEIRO PÚBLICO.

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

#Paulínia, futuro e passado juntos

Paulínia, futuro e passado juntos, separado por um presente de parcialidade, o plano de governo não que não realizou, atribuição do montante que arrecadou muito mal se fiscalizou, nem pelo povo sensibilizou.

Cidade rica sempre se falou, o povo pouco beneficiou, corrupção, desvios, má gestão, descaso há anos durou, a cidade degringolou, promessas não faltou, agora dizem que se enganou, dizendo que melhorou, realidade financeira não comprovou, consequência do que desviou.

Atualmente o povo despertou, sabem bem em quem votou e o partido que o filiou, pouco que mudou a recondução o passado já mostrou a cidade que deixou, prioridades não valorizou.

Assim vamos votar por uma Paulínia melhor, renovar sim, orientados não.
 PAULÍNIA - PORTAL DA TRANSPARÊNCIA                                                                            Share
LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO DE PAULÍNIA 

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Acórdão político #Paulínia

A menos de oitenta dias das eleições municipais para Prefeito e Vereadores, Paulínia ainda vive a sombra da dúvida, aonde foi e como foram gastos os mais de duzentos e vinte milhões de reais precedentes, embora previstos no orçamento anual receitas e despesas, não aferidos, pagas nesta gestão até então inexplicável, uma vez que os valores são muito acima da estimativa de outras cidades com resultados melhores, sem falar no FUNDEB, verbas vinculadas, pauliprev, milhões da saúde, contratos desaparecidos, também acompanhados há muito tempo o descaso nos cuidados, os desperdícios milionários, desapropriações no entorno do centro histórico da cidade, composto por outros excessos permitindo um buraco nas contas públicas, debaixo da fiscalização da Câmara Municipal, unido à morosidade da justiça e a impassibilidade da maioria regimental, junto das responsabilidades partidárias pelos seus filiados, visto e sentido nesses anos, bem como as contradições nas afirmações dos fatos com a realidade, gerando estranheza, resultado do acórdão político, deixando o receio na escolha dos representantes do povo, haja vista a receita de Paulínia comprometida sem o combate direto dos órgãos fiscalizadores nos desvios das verbas públicas para o período, agravada com a crise que o país passa e a queda na arrecadação da cidade, favorecendo mais os envolvidos que a população, e esquivando da discussão dos fatos, por sua vez haverá eleitos e possíveis reeleitos, privando os munícipes da verdade e a esperança de uma cidade melhor.


 PAULÍNIA - PORTAL DA TRANSPARÊNCIA                                                                            Share
LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO DE PAULÍNIA 

quinta-feira, 23 de junho de 2016

I III IV IV #PAULINIA III VIII VII VERDADE MMXV OCULTA XV

Em comparação a gestão de tempos atrás, Paulínia vem tendo resultados melhores por meio das reformas em áreas da educação, saúde e alguns avanços na promoção social, acompanhado da promessa de um número maior nas melhorias para a cidade, ainda que aja recurso acima da média nacional há muito para ser concluído pelo poder público, a tarefa é difícil possuindo mais de 52% comprometido com a folha de pagamento do funcionalismo públicos ativos e inativos com a receita caindo, mediante a uma política de união, deixando a ideia de indução ao esquecimento da população, ignorando a responsabilidade dos envolvidos nos desvios públicos, o desacordo desta união, não é torcer pelo pior nem fomentar ódio, é sim desejar uma cidade melhor, mas... É custoso e de difícil compreensão para os munícipes ser moderado, considerando o pagamento de duzentos e vinte e dois milhões de reais em dividas da gestão passada que pesa no plano do governo, sabendo que receitas e despesas são previsto no Orçamento Anual sob a supervisão da Câmara Municipal, apresentando desconhecimento como, onde e para quê, foi gasto esse valor, por consequência o sumiço em mais de dois mil processos administrativos de contratos do município com boletim de ocorrência realizado, estranhamente até o momento com uma investigação desconhecida, fato gravíssimo para permanecer indiferente numa gestão pública, sem razão, conhecimento dos documentos, custo implicado e o fundamento do extravio, comprometendo a confiabilidade no Executivo e Legislativo para realização nas prioridades da cidade e da população, ao passo que a Saúde Pública passou por uma CEI enigmática de muitas contradições, assim o futuro pode não ser promissor, à medida que o país passa por uma crise e Paulínia por perda de arrecadação.
Neste ano, como em outros a cidade vem adotando medidas na promessa da empregabilidade para seus cidadãos, medidas estas que se mostram ineficaz, solução mesmo somente diante de uma recuperação econômica em todo o país, quadro sentido em anos atrás, quando o mercado de trabalho estava aquecido, valendo a lei da oferta e procura, sem a maioria dos moradores nas empresas locais, posição difícil de impor.
Share

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Dúvidas e insegurança no dever fiscalizador #Paulínia

Questionar uma união política beneficiária, o mau uso e desvio de verbas públicas de maneira persistente, não é “torcer quanto pior melhor" e nem polemizar, mas sim exigir justiça e boa gestão pondo fim na impunidade, tendo a frente quatro anos de um novo governo escolhido pelo povo, precisamos sim, comparar e medir desempenho para não padecer, uma vez que as contradições da Comissão Especial de Inquérito da Saúde pela Câmara Municipal nas apurações das irregularidades e os absurdos financeiros despercebidos, junto do compromisso confuso de protocolar no Ministério Público o relatório conclusivo, provocando insegurança, como dúvidas no dever fiscalizador; "...e acompanhar as ações da Administração Municipal no que concerne ao cumprimento da Lei e da boa aplicação dos recursos públicos, pessoal e erário".

As discrepâncias dos fatos com a realidade deixa enormes suspeitas das aplicações dos valores altíssimos, gasto na educação nos últimos anos, com resultados não condizentes vistos e sentido por todos, entre outras áreas também de importância, aprovada por maioria regimental pressupondo a fiscalização dos vereadores, no entanto as circunstâncias eram passíveis de improbidade administrativa com denuncias no Tribunal de Contas e no Ministério Público.

PAULÍNIA - PORTAL DA TRANSPARÊNCIA
CONSULTA – CÂMARA MUNICIPAL DE PAULÍNIA
LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO DE PAULÍNIA

Share

sábado, 28 de maio de 2016

#Paulínia - Transparência dos gastos públicos

É de fundamental importância à transparência dos gastos públicos numa administração para lisura da gestão, bem como a facilidade de leitura, entendimento, apreciação e os questionamentos dos cidadãos, principalmente em ano de eleição, seguido por mais quatro anos, contudo a crise financeira e política que passa o país, junto com o nosso maior provedor fiscal, a Petrobras, visto que permanece uma negativa e reserva dos fatos, causando inquietação, Paulínia teve contratos desaparecidos e milhões de reais obscuros ainda pendentes de pagamento, assim como as fortunas desviadas das suas finalidades dúbias, fatos enigmáticos para uma gestão pública tendo meios de apurar as causas e torna-las pontuais e conhecidas, divulgando o desenrolar dos fatos, somando há (R$ 196.000.000,00), cento e noventa e seis milhões de reais em dividas pagas de anos anteriores sem aferir os valores altíssimos, mesmo com Orçamento Anual aprovado pelo executivo e legislativo no ano fiscal correspondente, exemplos como os milhões de reais da educação (FUNDEB) e os R$ 242.000.000,00 gastos sem nada ter feito, visto e sentido pelos munícipes, como também as reformas e construção do hospital, mesmo tendo uma CEI da SAÚDE em fase, onde despesas e receitas são descriminadas sob a fiscalização da Câmara Municipal, mostrando frieza por maioria fomentando a imunidade, sendo representantes do povo, deixam a incerteza conforme os fatos e acordos em nome da união política e boa gestão, contrapondo o Art. 34 da Lei Orgânica do Município que prevalece a vistoria. 

Share

sábado, 30 de abril de 2016

#Paulínia - oligarquia, eleição e reeleição

 O poder político vem sendo centralizado há anos por um grupo privilegiado na cidade de Paulínia, uma oligarquia de poucos, favorecendo ex-vereadores, correligionários e pessoas próximas através das ações que de alguma forma acaba beneficiando uma parcela de pessoas com cargos bem remunerados, basta ver os embates e imposturas ocorridos nesses anos para manter o poder, buscando interesses econômicos com propostas de melhorias para a população com políticas pública não viabilizadas para o período, Plano Plurianual (PPA), exemplos como as (PPPs)Parceria Pública Privada, obras com valores bem acima da realidade, contratos que penaliza os cofres públicos em favor de terceiros, ainda presente, sem compreender todos os benefícios prometidos ao povo, visto o abandono da cidade nesses anos, tendo uma supervisão inexpressiva pelo legislativo, fugindo do compromisso com a população, prédios e áreas públicas até agora pendentes de cuidados. Atendendo o governo atual reparou as escolas, creches e UBS, entre outros serviços básicos no dia-a-dia de obrigação do poder público, englobando muito a ser feito na educação, segurança, saúde, moradias, infraestruturas entre outras prioridades, até esse momento sem um plano de governo para a cidade; junto de uma Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO) suspeita somada a Lei Orçamentária Anual (LOA) que não vem sendo alcançada, mas apresentando valor bastante expressivo, sem cumprir a sua finalidade, contendo dividas pagas de Cento Noventa e Seis Milhões de Reais (R$ 196.000.000,00) de anos anteriores, até então com muitos milhões de reais pendentes, sem notas fiscais e contratos desaparecidos, mantidos a impunidade, se mostra desconhecido o verdadeiro destino do dinheiro público, aprovado no orçamento anual, esquecidos pelo Executivo e Legislativo; que insiste na isenção dos fatos na sua maioria regimental.




Share

sexta-feira, 22 de abril de 2016

#Paulínia economicamente saudável e rica

Paulínia continua se apresentando como uma cidade economicamente saudável e rica, desprezando a crise política e econômica que atravessa o país e a principal fonte de receita da cidade, a Petrobras, questionados em tempos atrás o abandono da cidade, o Executivo e Legislativo se protegiam na queda da arrecadação através do manifesto em plenário pela maioria, desconsiderando os desvios de verbas públicascorrupção e má gestão. Atualmente alguns avanços nas áreas da saúde, educação, segurança, serviços, reformas nas escolas, creches e outros, uma obrigação do poder público sem louvor. Assistido por um Plano Plurianual discutível e uma Lei Orçamentária incompleta aprovada nos últimos anos, contendo muito a ser feito na cidade, ainda sem um plano de governo para os próximos quatro anos educação, saúde, segurança, moradias, infraestrutura e projetos para os prédios e áreas publicas esquecidas sem atenção merecida, ao passo que vem à desconfiança da existência de verbas suficientes para a realização em tudo que precisa ser reparado, investimento nas prioridades, pagamento dos funcionalismos público ativo e inativo no presente e futuro, tendo em vista que não há nenhum combate ou ressarcimento do erário em curso e sentido contra os desvios e corrupção, o grande ralo do dinheiro público, maior causador do retrocesso da cidade de Paulínia nesses anos, além da má gestão, somente denuncias sem punição a vista, ofuscando a verdade protegendo os culpados e punindo os munícipes.


Share